Biblioteca Digital Ciarte

Apresentação

Esta página dedicada à divulgação da literatura histórica técnico-artística em português, iniciada, com 50 obras, em 12 de Abril de 2022, teve origem numa secção da minha página pessoal, actualmente em http://www.ciarte.pt. Desde cerca de 2000, fui aí disponibilizando cópia de diversas obras que ia obtendo em formato digital. Começou com um pequeno tratado em formato html (O Livro de Como se Fazem as Cores) e depois, aos poucos, foram surgindo volumes em formato pdf, tendo sido alcançado em 2019 o número de 44.

Em primeiro lugar, resulta, portanto, da autonomização daquela secção com subdomínio próprio e surge, logo de início, com mais 6 obras (algumas das quais exclusivas). No entanto, além de disponibilizar as obras em formato digital, tem um outro objectivo: disponibilizar informação sobre essa literatura. Para já, apresenta informação sistemática, que não é fácil de reunir, sobre as diversas edições de cada uma das obras e, de forma não tão exaustiva, sobre a bibliografia recente existente sobre as mesmas e os seus autores. Estas bibliografias são mais ou menos completas conforme o número de publicações relevantes e, por outro lado, o meu interesse sobre cada um dos assuntos. Considerando este objectivo, é apresentada a informação biobibliográfica que sobre os autores, tradutores ou editores consta do Dicionário Bibliográfico Português, de Inocêncio Francisco da Silva, Brito Aranha, Gomes de Brito e Álvaro Neves, que, não obstante a sua natureza e antiguidade, continua a ser útil.

A literatura histórica técnico-artística é aqui entendida de uma forma lata. De um modo geral, são considerados os escritos sobre as práticas artísticas da respectiva época, especialmente sobre os seus aspectos técnicos e materiais, com valorização dos que têm como autores praticantes dessas mesmas artes. Inclui os tratados técnicos, de que rigorosamente há poucos exemplos escritos em português, as memórias de natureza técnica, os receituários, as obras de natureza enciclopédica, os ditos livros de segredos e, também, as obras mais gerais e livres, de diferentes géneros, de artistas ou divulgadores da arte. Em qualquer caso, literatura em português significa, naturalmente, a que foi originalmente escrita em português, mas também a que resultou de tradução para português – por vezes, simples tradução; por vezes, adaptação mais ou menos livre apresentada autonomamente como no original ou inserida num volume com maior escopo. A literatura aqui considerada respeita a pintura, escultura, documentos gráficos e obras arquitectónicas, mas também ao uso de materiais como a cerâmica, a madeira, os metais e a pedra. Inclui igualmente a literatura sobre restauro e a literatura científica com directa relação com as obras de arte. Cronologicamente vai do século XV a meados da primeira metade do século XX e, por razões relacionadas com os direitos de autor, salvo raras excepções, são reproduzidas edições que não saem deste intervalo cronológico.

Quanto à página propriamente dita, pretende ter uma estrutura clara e simples, graficamente minimalista e com fácil acesso e uso. É suportada por código igualmente simples e com fácil manutenção.